sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

27 de janeiro

 Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

Foi a 27 de janeiro de 1945 que teve lugar a libertação do principal campo de concentração nazi (Auschwitz) pelas tropas da União Soviética.

O dia mundial da memória do Holocausto foi criado por ação da Assembleia Geral das Nações Unidas, pela Resolução 60/7, de 1 de dezembro de 2005.

Sónia Huli Bernfeld esteve na BE, para transmitir aos alunos das turmas D e E do 9º ano e F do 12º ano, as marcantes vivências de vários familiares seus nos campos de concentração alemães durante a II Guerra Mundial.







quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

As turmas B e C do 8º ano encontraram-se com a autora de Índigo, Inês de Barros Baptista.






Após a leitura da obra nas aulas de português, com a professora Cristina Basto, os alunos puderam conhecer a escritora de "uma história de descoberta para todas as idades". A curiosidade foi grande, as perguntas foram muitas e o diálogo fluiu.





Comentários dos alunos:


  • "(...)foi uma grande oportunidade conhecê-la."
  • "Gostámos muito do ensinamento que o livro nos deu acerca das características das diversas pessoas (...)"
  • "Adorei ouvi-la responder às nossas questões, adorei a sua forma de ser, a sua simpatia e a sua boa disposição."
  • "(...)fiquei muito feliz por ter tido a oportunidade de ter a assinatura da escritora no meu livro, que foi escrito por ela."
  • "Do que mais gostei neste encontro foi a oportunidade de conhecer a escritora. Foi muito bom! Adorei!"
  • "Do que mais gostei neste encontro foi a demonstração de mandalas."
  • "Quando escreve os seus livros, as personagens decidem o seu próprio destino, criando a história."
  • "(...)a escritora apresentou-se tal como eu a achava. (...) Do que gostei no livro foi a forma como Índigo mudou e libertou os pensamentos das pessoas da inveja e da maldade."
  • "Gostei bastante deste encontro porque não é todos os dias que podemos entrevistar uma escritora."
  • "Fizemos perguntas e pudemos saber como é que a autora ganha inspiração. Inês de Barros Baptista revelou-nos a maneira como vê o mundo e, assim, partilhámos ideias."
  • "(...)tive a oportunidade de estar na mesma sala que a bisneta de um grande escritor que admiro e venero muito, João de Barros, escritor de grandes obras como Eneida, de Virgílio, e Os Lusíadas contados às crianças e ao povo."
  • "Ter a oportunidade de conviver com alguém imaginativo e criativo como Inês de Barros Baptista foi uma grande experiência, especialmente por podermos perguntar-lhe tudo acerca da sua inspiração não só na criação deste livro, como também na sua vida. Com ela aprendemos que é importante conhecer os dois lados da vida, e não só o que nos parece mais agradável, ou seja, «é necessário conhecer o frio para sentir o calor» ou «só sabemos o que é a luz depois de sabermos o que é o escuro»."
  • "Fantástica, inspiradora, cativante, tudo o que se pode pedir a uma autora."
  • "Uma palestra repleta de histórias e aventuras na sua carreira e na vida pessoal, Inês de Barros Baptista mostrou-nos outro lado de si. O seu lado Índigo."
  • "(...)foi uma experiência maravilhosa. (...) é muito simpática e tem uma maneira de olhar para o mundo e para as pessoas que muito pouca gente tem. Estas características viam-se imenso no livro que lemos. Esta escritora é alguém muito especial que me inspirou e com quem consegui identificar-me em muitas coisas. Gostei imenso de ler o seu livro e fiquei muito curiosa em experimentar a técnica das mandalas. Muito obrigada!" 



sexta-feira, 6 de janeiro de 2017


A Porto Editora anunciou a PALAVRA DO ANO® 2016 eleita pelos portugueses:

geringonça.


O vocábulo geringonça foi eleito com 35% dos votos, seguido por campeão (29%) e brexit (8%).

Abaixo do pódio ficaram as palavras “
parentalidade” (6%), “presidente” (6%), “turismo” (4%), “racismo” (4%), “humanista” (4%), “empoderamento” (3%) e, em último lugar, “microcefalia” (1%), num universo de mais de 25.000 votos.

A palavra geringonça, usada para designar a coligação parlamentar que apoia o atual governo, integrou a lista das 10 candidatas a PALAVRA DO ANO® considerando o destaque que teve ao longo do ano de 2016.

 PALAVRAS DO ANO® :
 refugiado (2015), 

corrupção (2014),

 bombeiro (2013), 

entroikado (2012), 

austeridade (2011),

vuvuzela(2010) e

  esmiuçar (2009).

in, www.portoeditora.pt

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

LIVRO DO MÊS LIVRO DO MÊS LIVRO DO MÊS 

Este é o livro de contos de José Cardoso Pires intitulado Histórias de Amor, publicado em julho de 1952, numa coleção de bolso chamada “Os Livros das Três Abelhas”, e logo apreendido pela censura., que o considerou:

“Imoral.
Contos de misérias sociais e em que o aspecto sexual se revela indecorosamente.
De proibir.”

Cardoso Pires, então com 27 anos, reclamou da sua apreensão junto dos Serviços de Censura e conseguiu reaver o exemplar sublinhado a azul, mas este nunca mais foi reeditado sob a forma inicial, apesar de o autor o ter mantido sempre na lista das suas obras completas.

Esta edição de Histórias de Amor reproduz o exemplar com os cortes feitos pela PIDE, que a família de José Cardoso Pires - falecido em Outubro de 1998, aos 73 anos - entregou à Biblioteca Nacional.

Alguns dos contos que compõem Histórias de Amor - à exceção de "Romance com Data", que permaneceu sempre inédito - foram mais tarde reescritos e incluídos na edição de "Jogos de Azar", publicada em 1963 pela Editora Arcádia.
Em Histórias de Amor encontramos os contos:

  • Week-end
  • Uma simples flor nos teus cabelos claros
  •  Ritual dos pequenos vampiros
  •  Romance com data


E a novela

  • Dom Quixote, as velhas viúvas e a rapariga dos fósforos

LIVRO DO MÊS LIVRO DO MÊS LIVRO DO MÊS

Novidades na BE - DVD - “ O sonho de Wadjda”, de Haifaa Al-Mansour - “O Ilusionista”, de Neil Burger - “Noé”, de Darren Aronofsky -...