Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2016
Começámos esta semana sessões de trabalho articulado entre SPO e BE, promovendo a orientação de estudos e alargando conhecimentos sobre áreas profissionais, As turmas de 9º ano são o público-alvo destas sessões.



LIVRO DO MÊSLIVRO DO MÊS LIVRO DO MÊS
Nunca um mistério foi investigado com tanto humor! À Noite Logo Se Vêé o relato hilariante das andanças de Mino, investigador do sobrenatural, na procura de explicações para acontecimentos extraordinários. De passagem, vai-se detendo em não menos fascinantes episódios da vida terrena, como a viagem do narrador e sua namorada, Natinha, numa noite de denso nevoeiro; a ascensão social de um homem de sete ofícios incompreendido pela cara-metade; a estratégia de Quinzinho Pontual na sua ambição de matar o tempo; a odisseia do pugilista gordo em vésperas de combate; o único descuido do velho repórter especializado em notícias de desastres; o inquietante mistério de Roseiral.
Fantasiando o mundo real e parodiando o da fantasia (este livro foi publicado, inicialmente, numa coleção alusiva ao Fantástico) Mário Zambujal prende o leitor à sua escrita ágil em que a originalidade e o humor se unem para o prazer da leitura. EXCERTO «Ela ainda foi telefonar, e eu, …
Para assinalarmos o Dia Internacional da Tolerância, contámos com uma palestra da Drª Teresa Nogueira, voluntária da Amnistia Internacional. A atividade foi organizada pela professora Sara Silva, de inglês, em colaboração com a Biblioteca Escolar, dirigida aos alunos das turmas D e F do 10º ano.
BALANÇO DA PALESTRA SOBRE “TOLERÂNCIA”


Consideras que o tema é pertinente?                    Sim 48            Não 1    Não respondeu 9              A Biblioteca é um espaço adequado à realização da palestra?                                                                                              Sim 45       Não 4        Não respondeu 9
O que aprendeste? “(…) os problemas do mundo não estão tão longe quanto parecem.” “(…) mais importante que tolerar o próximo, é aceitar o próximo. A discriminação é um crime muito atual que, às vezes, leva a situações inimagináveis.” “A xenofobia e o racismo continuam presentes e, com a finalidade de assegurar o bem comum, a distinção entre raças deveria ser i…
Para assinalarmos o Dia Internacional da Tolerância, contámos com uma palestra da Drª Teresa Nogueira, voluntária da Amnistia Internacional. A atividade foi organizada pela professora Sara Silva, de inglês, em colaboração com a Biblioteca Escolar, dirigida aos alunos das turmas D e F do 10º ano. BALANÇO DA PALESTRA SOBRE “TOLERÂNCIA” üConsideras que o tema é pertinente?                    Sim 48            Não 1    Não respondeu 9 üA Biblioteca é um espaço adequado à realização da palestra?                                                                                              Sim 45       Não 4        Não respondeu 9 üO que aprendeste? “(…) os problemas do mundo não estão tão longe quanto parecem.” “(…) mais importante que tolerar o próximo, é aceitar o próximo. A discriminação é um crime muito atual que, às vezes, leva a situações inimagináveis.” “A xenofobia e o racismo continuam presentes e, com a finalidade de assegurar o bem comum, a distinção entre raças deveria ser inexistente…
FOI ASSIM EM OUTUBRO:
SEMANA DA BIBLIOTECA ESCOLAR
Visitas guiadas das turmas do 7º ano (24 a 28 de out.Divulgação do site e do blogue da BEExposição “Outros Tempos… Outras Leituras…”Divulgação de “NOVIDADES” (no local, na sala de professores e no blogue)Promoção do concurso Oeiras Internet Challenge, da BMO


OPINIÕES DOS ALUNOS DO 7º ANO SOBRE A VISITA GUIADA À BE
“Eu aprendi a fazer uma referência bibliográfica(...).”
“Gostei de saber que podemos consultar a Bibliobase.”
“Penso que a biblioteca da escola é um sítio calmo, onde é possível a realização de trabalhos. A biblioteca tem equipamento de boa qualidade para todos os alunos.”
“Eu aprendi como requisitar livros, filmes… e também como ler a cota e encontrar as coisas.”
“Fiquei a saber como está organizada a biblioteca, o que ela nos oferece (…) e que a biblioteca tem um site.”
“Aprendi várias coisas sobre a biblioteca: que há muitos livros, e-books, jornais, revistas, etc.”
“(…) também aprendi que a cor da etiqueta dos livros serve para al…
2016/2017 E cá estamos de novo, no primeiro dia de outono...



Este ano letivo começámos as nossas atividades com um Open Day.
Na BE, os professores de português e os alunos assistiram a um videoclip dos D.A.M.A. com o Vasco Palmeirim, em defesa do bom uso da língua portugues. Depois, os alunos deixaram uma mensagem.
Trata-se de uma nova versão de “Às Vezes”. Passou a ser “ Às Vezes (Escuto e Observo Erros de Português)”

Às vezes oiço cada coisa e não fico ok
Às vezes leio em português que não está bem
Ninguém faz de propósito, eu sei
Mas acontece tantas vezes - ai Jesus, minha mãe!
Às vezes oiço cada coisa e não fico okÀs vezes leio em português que não está bem
Ninguém faz de propósito, eu seiMasacontece tantas vezes - ai Jesus, minha mãe!

Sei que às vezes eu pareço zangado
Mas isto faz-me ficar preocupadoNão quero ver a nossa língua neste estado
O português anda a ser tão maltratado
Quando há faltas para amareloentradas de pé em riste
Gente que em vez de "estiveste" pergunta "onde …
Outubro - Mês Internacional da Biblioteca Escolar
SERES IMAGINÁRIOS
PROJETO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS, 8º ANO
Zenguru Era uma vez um canguru que vivia na floresta nacional da Austrália. Ele chamava-se Pepe e tinha vinte anos, era alto, cinzento e gordinho. Tinha o focinho largo e as orelhas grandes. Pepe vivia com a sua família numa gruta. Certo dia, Pepe saiu para ir buscar comida, pois era ele que sustentava a família. Andou, andou, até que encontrou um enorme e gigantesco grupo de zebras. Nesse grupo, destacou-se uma grande, elegante e lindíssima zebra. Ela era grande, magra, com riscas brancas e pretas, patas pequenas e focinho largo, olhos grandes e negros e tinha uma bela, longa e negra crina. Ela chamava-se Mar. Pepe encontrou o seu amor à primeira vista e decidiu ir falar com ela. Falaram, falaram até que se aperceberam de que estavam os dois apaixonados um pelo outro e que faziam em belo casal. Assim, decidiram ir viver sozinhos, para o outro lado da floresta, sem contar a ninguém, para que nunca mais ninguém os visse. Passados doi…