sexta-feira, 16 de outubro de 2015



LIVRO DO MÊS DE OUTUBRO 2015




Neste livro contam-se as histórias de 4 alunos especiais, Cláudia, Tomaso, Lori e Boo, que a escola acolheu, entendeu, trabalhou e amou.

É com imenso afecto que os efeitos esperados começam a surgir nos alunos; na Cláudia e no Tomaso, com 12 anos; ela que foi expulsa da escola por ter ficado grávida, ele que viu a madrasta assassinar o seu pai; no Lori,  de 7anos,  que tem lesões cerebrais  causados por maus tratos e no  Boo, também de 7anos, portador de autismo.
Este livro é uma lição de vida…

Todos nós (alunos, professores e assistentes) podemos ter, ou ter de viver com uma constelação de perturbações do neuro-desenvolvimento que se podem manifestar com maior ou menor intensidade. Todos somos diferentes e é ao reconhecer esta variabilidade imensa que percebemos que somos únicos.

A autora do livro, Torey Hayden, também é única na maneira como nos envolve. Só nos EUA foram vendidos 250 mil livros e no Reino Unido meio milhão de exemplares. Não podemos ficar indiferentes a este livro que se digere de uma golpada só.


Sugestão de leitura da professora Magda Dias, do grupo 910 
(Educação Especial)

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Esteve na ESQM o embaixador da União Europeia na Guiné Bissau, Vítor Madeira dos Santos.

As turmas 10ºF, 12ºE e F , bem como alguns professores, tiveram o privilégio de ouvir falar do papel da União Europeia em países menos desenvolvidos de África e da Ásia. O diplomata, cuja experiência em instituições da UE é vasta (desde a integração portuguesa em 1986), falou do gosto e do orgulho que sente em poder trabalhar e contribuir para a melhoria das condições de vida nos países mais desfavorecidos.





 Destacamos desta palestra o tom otimista com que nos foram apresentadas algumas facetas do seu trabalho, apesar das dificuldades e entraves que, por vezes, encontra. Foi importante ouvir descrever os desafios que encontra nas negociações, mas salientando a importância da transmissão de valores de cidadania, democracia, proteção ambiental, direitos humanos... Ao contrário de alguns países, cuja ajuda ao desenvolvimento é dada em troca de algo, a UE orgulha-se de contribuir desinteressadamente. Com o desenvolvimento e a melhoria das condições de vida dos mais desfavorecidos, todos ganhamos, globalmente, coletivamente. 

Ficou uma mensagem de apelo à busca pelo conhecimento, pelas diferentes experiências de vida. Mostrou-nos que estudar e trabalhar noutros países não é necessariamente negativo, e  muito se pode fazer para enriquecer a nossa cultura, o nosso conhecimento e que, mesmo lá fora, se pode contribuir para o nosso país. 


Novidades na BE - DVD - “ O sonho de Wadjda”, de Haifaa Al-Mansour - “O Ilusionista”, de Neil Burger - “Noé”, de Darren Aronofsky -...