Avançar para o conteúdo principal
Ontem, 20 de maio, tivemos a cerimónia de entrega de prémios do Concurso de Escrita promovido pelo Lions Club International, Distrito 115.

Os textos premiados, subordinados ao tema "Paz, Amor e Compreensão", foram os dos alunos

Miguel Mendes, 8ºD, profª Conceição Dias





Paz, amor e compreensão

A paz! O desejo irrealizável! O pássaro que teima em nunca ser apanhado, mas que, na realidade, voa bem perto do chão. Mas então o porquê de nós, os Humanos, os seres mais inteligentes do planeta Terra, os eternos pensadores, os únicos animais com capacidade de raciocinar no Sistema Solar, não o apanhamos? Porquê não estender a mão ao maior bem que a Humanidade pode alcançar? Será que estamos mais preocupados com os pensamentos egoístas do dia a dia, que não pensamos no assunto?
É com estas questões que me debruço sobre os livros, em busca de uma resposta, mas sem sucesso. Talvez seja melhor assim. Talvez seja melhor que a Humanidade leve consigo a guerra e o ódio quando chegar o seu ato final. Talvez aí, as pessoas poderão finalmente perceber a chave do universo, que todo o tempo esteve a chamá-las à janela. Assim, as pessoas finalmente entenderão o mundo.
Não. Não tem de ser assim. Ainda há tempo para alterar o futuro. A paz é um bolo com apenas dois ingredientes: amor e compreensão. Já houve vários pensadores que os descobriram e alertaram a Humanidade, mas nunca foram realmente ouvidos.
O homem nasce livre, mas por toda a parte se encontra acorrentado”, ouvi dizer. E concordo. A paz é chave que abre as portas da liberdade, mas o Homem recusa-se a usá-la. O livro do conhecimento está na prateleira, mas o Mundo não está a procurá-lo.
Felizmente, ainda há esperança. Há garças que se elevam mais que todas as outras. São estas garças que têm de espalhar a notícia, que conseguem perceber o Universo.
Será que a Humanidade as vai ouvir? Será que não vai cometer o mesmo erro que já cometera no passado? No fim de contas, pouco mudou. O dinheiro continua a fazer girar o Mundo, ainda há guerra, e não há tolerância para com as outras pessoas.
É assim que, tristemente, fecho o meu livro, ponho-o na prateleira e olho pela janela. E aí percebo tudo. Ainda há esperança! A humanidade só tem de procurar a paz. Que procure debaixo da cama, espreite por detrás dos cortinados, veja debaixo do sofá, porque ela está lá. A paz está à nossa espera.
Porque, afinal, o que é mais poderoso? Um murro ou um aperto de mão? Não devíamos nós, seres do Universo procurar a paz?
A Terra tem de pôr um novo livro na sua prateleira, e este não vai ser de ação e violência.
Espalhem a mensagem.


Miguel Mendes, 13 anos,
Escola Secundária Quinta do Marquês
Professora Conceição Dias

Lourenço Nobre, 7ºE, profª Sílvia Guedes




                                               
   PAZ, AMOR e COMPREENSÃO

Paz, Amor e Compreensão, três palavras bonitas, de grande importância , que se encontram ligadas entre si.

Sem Paz não há Amor e sem Amor não há Compreensão.

Separá-las é correr o risco de o homem não poder viver os seus dias em harmonia.

Precisamos de Paz em todos os momentos da nossa vida: em casa, na escola, no trabalho, na convivência com os outros...

Ao estarmos em Paz, irradiamos simpatia e todas as nossas atitudes transmitem Amor. Esse Amor tão necessário para podermos levar a Paz àqueles que a não têm.

Com Amor tudo é mais fácil de suportar.

Se transmitirmos Amor, sentimo-nos bem e fazemos bem aos outros.

Quem não gosta de um carinho, um sorriso, uma palavra amiga? Tudo isto é Amor!

Havendo Amor, há Compreensão.

Quem ama tem a felicidade de poder aceitar melhor os outros, desculpá-los, acarinhá-los, dar-lhes um pouco de si.

Se todos nós vivermos em Paz, podemos amar o próximo, compreendê-lo, e assim construirmos um Mundo melhor.

É dever de todos nós, transmitirmos PAZ, praticar AMOR e, daqui vem a COMPREENSÃO.

Lourenço Nobre 7ºE
12 anos

Filipa Nunes, 8ºA, profª Conceição Dias





Paz, Amor e Compreensão são três palavras usadas no quotidiano de uma pessoa. "O mundo tem de ter paz" e "sem amor não podemos viver", "a compreensão é muito importante"... são algumas das frases que se ouvem muito por aí, mas será que sabemos o valor que tem cada uma destas palavras, que utilizamos no dia a dia?
Paz... uma palavra só com três letras, mas com um grande significado. Paz não é só aquilo que falta em alguns países. Paz é também um modo de vida, uma escolha que se faz. O Amor também é algo essencial! Algo que não se consegue facilmente. É mágico e poderoso, tal e qual a paz. Se não se escrevessem de maneiras diferentes, eu diria que querem dizer a mesma coisa. E depois temos a Compreensão... essa palavra comprida que é difícil de ler e de dizer.
É com compreensão que se consegue ter uma vida social estável e boa, que se consegue ouvir melhor os outros, que se consegue perceber melhor a Paz e o Amor. mas vamos terminar isto assim?! Vamos apenas escrever três linhas sobre estas três palavras e esquecer o resto?! É nossa obrigação dar o devido valor à Paz, ao Amor e à Compreensão. Nunca ninguém se deve ter dado ao trabalho de tentar perceber porque será que estes três valores foram inventados, mas a verdade é que alguém precisou deles na sua vida e, por isso, inventou-os. Todas as palavras são inventadas com um propósito, certo? Eu acho que sei bem o que é a Paz, o que é o Amor e o que é a Compreensão. Acho que são três ORDENS dadas a todos os cidadãos, são regras que deviam ser cumpridas por toda a gente. Palavras escritas com letra Maiúscula não por acaso, mas sim porque são importantes para o nosso mundo e para a nossa vida. Cabe a cada um de nós  decidir se quer ou não aceitar e cumprir estas ordens. cabe a cada pessoa decidir se quer ou não este modo de vida! Posso assegurar que, quem escolher este caminho, será certamente uma pessoa mais feliz e realizada. Tenho pena que o mundo não esteja "contaminado" por estes valores, mas seria decerto a melhor "contaminação" de todos os tempos.


Filipa Nunes, 13 anos, 8º ano
Profª Conceição Dias

Lions Clubs International é uma das maiores organizações internacionais de clubes de serviços  comunitários e humanitários do mundo, fundada por Melvin Jones, nos Estados Unidos, em 1917.
 Conta com aproximadamente 1,4 milhões de membros que desenvolvem atividades no âmbito dos rastreios de visão e audição, concessão de bolsas de estudo, auxiliando jovens, distribuindo cestas básicas, dando apoio a entidades filantrópicas, fornecendo ajuda em momentos de catástrofes e muito mais.




Comentários

Mensagens populares deste blogue

Serviço dePsicologiaeOrientação Biblioteca Escolar e AssociaçãodeEstudantes
26 de maio de 2017, 14h 15m
Sessãocom professores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da  Universidade Nova, sobre os cursos:
·Biologia Celular e Molecular ·Bioquímica

·Conservação e Restauro ·Engenharia Geológica ·Matemática, Química Aplicada ·Engenharia do Ambiente ·Engenharia Biomédica ·Engenharia Civil ·Engenharia Eletrotécnica e de Computadores ·Engenharia Física ·Engenharia e Gestão Industrial
E aqui ficam os nossos desejos de um BOM 2015 para todos!

"À conversa com Marta Atalaya" 
27 de outubro
 - atividade promovida pela professora de português Inês Goulart, para as turmas A, B, C e D do 8º ano, em parceria com a BE.

Os objetivos desta atividade centram-se no estudo do texto não literário e dos diferentes géneros jornalísticos.

Desta vez, os alunos foram os jornalistas e entrevistaram a pivot da SIC Notícias. O guião da entrevista era extenso, mas ainda houve tempo para questões de momento e curiosidades, muitas curiosidades.


Entrevista a Marta Atalaya
No dia 27 de outubro, Marta Atalaya, pivô da SIC Notícias, foi à Escola Secundária Quinta do Marquês para uma pequena entrevista realizada pelos alunos do 8º ano das turmas B,C e D. Às três horas em ponto, a biblioteca encerrou, pois iria decorrer a entrevista a Marta Atalaya. Entretanto, começaram a chegar os alunos acompanhados pelas Professoras Inês Goulart, Madalena Mota e Sónia Costa. "Quando e como soube que queria ser jornalista?”; “A sua família apoiou-a sempre?”; …